Não existe cena metal brasileira

a9657c_c39f27b63b9448af81c4c9d9fae51077Muitos podem ficar irritados com o post, achar que é um exagero ou uma heresia, mas o objetivo é que possamos refletir se estamos andando no caminho certo. Houve um tempo, e já deve fazer mais de 30 anos, que foi chamado a era de ouro do metal, no qual surgiram diversas bandas, hoje reconhecidas como lendas. Infelizmente, não estamos mais nos anos 80 e muita coisa mudou. Nosso próprio ego está matando os novos talentos em vez de impulsioná-los.

Para citar alguns dos movimentos, houve uma cena Hard Rock, uma NWBHM, e uma cena Thrash americana e alemã. Todas essas foram importantes celeiros, onde nasceu e se desenvolveu toda uma cultura, um estilo de vida, que influenciou milhares de pessoas.  Mas, o que existia de diferente naquela época e com aquelas pessoas? Qualquer um que se dê o trabalho de ler uma biografia ao menos, de bandas que surgiram em uma dessas safras, vai perceber que a atitude daqueles músicos era completamente diferente do que vemos hoje. As bandas faziam festas juntas e umas prestigiavam o trabalho das outras.

No Brasil a maioria dos bangers vivem de idolatrar as lendas do passado. Eles pagam 500 reais ou mais em um ingresso para ver um show do Iron Maiden, mas não saem a noite, não fazem novos amigos, não curtem outras bandas que não sejam as deles próprios, pois todos tem uma banda medíocre. No final das contas, todos chegaram a conclusão que são os melhores vocalistas, todos são os melhores guitarristas, já sabem de tudo. Não precisam aprender mais nada, nem compartilhar conhecimento com os outros, pois só postando as suas músicas no youtube farão com que um produtor se interesse por essa genialidade e os leve à fama, ao sucesso.

O que a maioria dos moleques mimados de apartamento precisam aprender é que CENA METAL não se faz no quarto de casa, postando vídeos no youtube. A cena metal não se faz indo no show do Metallica e ficar lá filmando com o smartphone em vez de assistir com os olhos de carne. O verdadeiro Heavy Metal não se constrói olhando para o próprio umbigo, ignorando bandas de amigos, ficando em casa, em vez de ir no bar onde uma banda desconhecida vai tocar. Já pensou se você trocasse público com todos os músicos que conhece, propondo ir no show deles e eles irem no seu. Gastariam menos dinheiro e teriam público e, por consequência uma cena. Iriam se divertir muito mais, fazer novas amizades, aprender novas coisas e até melhorar a própria música ruim, cópia de Maiden, que você tenta fazer sozinho lá no seu quarto.

Não se trata de uma generalização, pois muitos pensam diferente da massa e estão cansados disso. Mas, é uma doença coletiva, um ciclo vicioso no comportamento do “metaleiro” brasileiro, que leva do nada para lugar nenhum e tem destruído milhares de bandas ótimas, que não conseguem suportar o peso do seu próprio destino. Canso de ver bandas excelentes surgindo, gravando um primeiro CD, tirando dinheiro do vácuo para bancar toda a brincadeira, para, então, desaparecer. A maioria não consegue aguentar o tranco, quando percebe que ninguém está indo nos shows e sente, finalmente, o sabor do desprezo. E digo mais, nós desprezamos uns aos outros.

Tudo se resume hoje em uma briga de egos, uma constante troca de ofensas públicas para determinar quem sabe mais sobre o seu instrumento, quem tem mais técnica, quem tem mais likes. E isso é nojento, asqueroso e nocivo para nós mesmos, estamos nos destruindo sem perceber. Quando chamamos alguém de fracassado só estamos refletindo o que vemos dentro de nós. A sabedoria oriental já diz isso há séculos.

Quando a discussão vem a tona, geralmente culpam os donos das casas de shows, que não pagam as bandas, ou culpam o público. A realidade meu amigo, pode doer, mas o culpado é você, eu, todos nós. O fã de metal de hoje aprendeu a tocar guitarra, baixo, teclado, bateria ou sabe cantar por que viu tutoriais no youtube. A maioria tem banda, porém, isso não o impede de ir nos shows ver outras pessoas tocar.

Veja um documentário sobre o surgimento da cena Thrash nos Estados Unidos e aprenda a ser realmente feito de metal:

Ricardo Janke – Rick Rocker

 

 

Advertisements

One Comment Add yours

  1. Danilo Fiory says:

    Cara… Concordo com CADA palavra!Venho dizendo isso a anos. Essa briga de Egos ta matando um cenário ja inexistente.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s